Guarda Municipal de São José atendeu mais de 15,6 mil ocorrências em 2018

O balanço foi feito com base no trabalho realizado pela instituição entre janeiro a dezembro do ano passado

0
103
A Guarda Municipal de São José atendeu a um total de 15.699 ocorrências de janeiro a dezembro do ano passado

A Guarda Municipal de São José atendeu a um total de 15.699 ocorrênciade janeiro a dezembro do ano passado. O número representa mais que o dobro da atuação da corporação em 2017, quanto foram registradas 7.068 ocorrências. Os números fazem parte de um balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José, por meio do SetorIntegrado de Inteligência, composto pela Guarda Municipal, Polícia Civil e Polícia Militar.

Este foi, sem dúvidas, um ano memorável, com um saldo extremamente positivo, comparando aos anos anteriores. Realizamos muitas operações garantindo ainda mais a sensação de segurança da população”, avalia o secretário adjunto de Segurança, coronel Vânio Dalmarco. “Para 2019 estamos concluindo alguns estudos, mapeando todas as regiões da cidade, para distribuir o efetivo de agentes da Guarda Municipal de forma mais eficaz, além de realizar novas ações”, acrescenta o secretário.

Em 2018, a GMSJ registrou 15.699 ocorrências atendidas de diversas naturezas. Foram recuperados 91 veículos, sendo que, desses, oito haviam sido clonados. Os guardas municipais também retiraram de circulação armas e munições de calibre 38 e 9mm. No período, 361 pessoas foram detidas ou encaminhadas à delegacia, resultando em 83 prisões, sendo 15 com mandados de prisãoativo. Também foi registrado o atendimento a 1.970 acidentes sem vítima e a 51 casos de roubo.

No balanço da Guarda Municipal, também consta o atendimento a 4.185 pessoas pelo Setor de Educação no Trânsito, 1.252 deslocamentos feitos pelo Auto Trasporte Social, além de 35 comunidades atendidas e 7.458 pessoas entrevistadas pelo Projeto Guarda no Bairro, implantado também em 2018.

Para a consultora geral de Segurança de São José, Gilmara Vieira Bastoso aumento nos atendimentos está relacionado com a confiança que os josefenses têm depositado na instituição. “A população tem entendido o papel da Guarda na segurança pública, além de ter aumentado também o grau de confiança, fortalecendo vínculos entre segurança e comunidade. Através disso, também por parte das demais secretarias e instituições, trabalhamos para manter a cidade mais segura”, afirma Gilmara.

Ainda ao longo do último ano foram identificados e fechados cinco desmanches de veículos; feita a identificação de 67 pessoas envolvidas em crimes; participação de 26 cumprimentos de buscas; apreensão de drogas; a participação de operações de choque de ordem urbana, além da recuperação de diversos objetos e animais perdidos.

Segundo o comandante da GMSJ, Marcelo Luiz de Souza, os dados e perspectivas da corporação são crescentes. “Aumentou o número de ocorrências, melhorou a qualidade no atendimento einiciamos o trabalho de treinamento continuado, tanto na parte física, intelectual, técnicas e táticas necessárias para o aperfeiçoamento do desempenho das funções”, destaca Marcelo.

O comandante da GMSJ explica que as prisões e apreensões foram feitas graças à troca de informações e cooperação com os setores de Inteligência das diversas instituições, investigações de delegacias e especializadas, agentes operacionais administrativos das forças de segurança, do trabalho realizado pela Central de Videomonitoramento de São José, Central de Operações daGMSJ e da Central de Operações da Polícia Militar.

GMSJ

A Guarda Municipal de São José foi criada pela Lei 4.144 de abril de 2004 e, em 2019, comemorará 15 anos de atividades. A instituição foi criada como resposta de enfrentamento à violência e criminalidade, dando à Prefeitura a oportunidade de expandir a segurança pública municipal. Atualmente, os 113 agentes estão distribuídos em diferentes setores como administrativo, educação de trânsito, logística e inteligência de segurança.

A GMSJ realiza rondas patrimoniais, fiscalização do trânsito, rondas escolares, além de auxiliar na vigilância dos bens públicos municipais. Desde maio de 2016, os agentes têm autorização para utilizar armas de fogo. O processo de porte de armas foi realizado a partir da capacitação de armamento e tiro, ministrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), com 100 horas/aula e exame psicotécnico.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome