CPE dos Apagões recebe denúncias do Procon sobre problemas com a luz

Apenas em Florianópolis, o número foi de quase 700 denúncias registradas por moradores, quando somadas as recebidas pela Comissão Parlamentar Especial

0
19

Nesta quinta-feira (14), a reunião da CPE dos Apagões contou com a presença dos representantes do Procon Estadual e Municipal, que trouxeram dados das reclamações feitas pela população. Apenas em Florianópolis, o número foi de quase 700 denúncias registradas por moradores, quando somadas as recebidas pela Comissão Parlamentar Especial.

Celso Sandrini, Secretário Municipal da Defesa do Consumidor, parabenizou a Casa Legislativa pela iniciativa de resguardar os direitos dos consumidores: “O Procon Municipal registrou 640 denúncias, de unidades que tiveram um aumento de cerca de 80% na sua conta. Ressaltamos que, qualquer pessoa que tenha algum tenha algum problema, denuncie. Se a pessoa costumava pagar 40 reais e recebeu conta de 80, deve denunciar também”, afirma.

Sandrini relatou ainda que notificaram a Celesc e que a empresa apresentou defesa e essa resposta está sendo analisada.

O presidente da CPE, vereador Gabrielzinho (PSB), afirmou que em 15 dias 40 pessoas fizeram reclamação nos portais disponibilizados pela Câmara e além dessas denúncias, a Celesc em seu canal 0800, registrou quase 4 mil reclamações.

O gerente do Procon Estadual, Thiago Cavallazzi, explicou que as denúncias começaram pelas redes sociais em toda Santa Catarina, mas que as pessoas precisam relatar diretamente ao Procon: “No Estado, registramos 5.274 reclamações e estamos à disposição, para que todas as pessoas que se sentiram lesadas, venham para denunciar”.

Ao final, foi convidado o Presidente da Celesc, para prestar esclarecimentos na próxima reunião, marcada para dia 28/03. Foi solicitada também, perícia técnica, para verificação das unidades. Os vereadores Gabrielzinho (PSB), Dalmo Meneses (PSD), Tiago Silva (MDB), Pedrão (PP) e Jeferson Backer (PSDB) fazem parte da Comissão Parlamentar Especial.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome