Mais de 200 mulheres já participaram das aulas de defesa pessoal gratuitas oferecidas pela Prefeitura

O projeto Floripa com Elas é coordenado pelo Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis (Igeof). Quem deseja participar das aulas ainda pode se inscrever pelo link bit.ly/floripacomelas

0
80
As alunas recebem as orientações e em seguida, praticam em duplas.

Aquecimento com caminhada, corrida e muita orientação. É assim que começam as aulas de defesa pessoal gratuitas para mulheres, oferecidas pelo projeto Floripa com Elas, da Prefeitura de Florianópolis, por meio do Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis(Igeof). Mais de 200 mulheres já participaram das aulas, que seguem até maio de 2020, assim que completarem todas as inscrições.

As aulas práticas começam com o instrutor dando dicas de como se defender de possíveis ataques e agressões através de uma breve iniciação teórica. Depois, as alunas aprendem na prática, como escaparem de agressões, utilizando a própria força do agressor contra ele com técnicas de movimentos circulares. Também é ensinado a usar materiais alternativos como ferramenta de defesa como: canetas, celulares e spray de gengibre ou bastão simples de madeira.

As alunas recebem instruções de como escapar de puxões de braço e cabelo, enforcamento, abraço ou ato de pegar na mão à força, pressão contra a parede, tentativa de estupro ou ataque armado. Todas as orientações ensinadas visam distrair o agressor para que a mulher possa se desvencilhar do ataque e buscar socorro. De acordo com o instrutor, a principal dica é evitar o primeiro contato ou aproximação do agressor, já que pode estar armado. Mesmo que não esteja, a vítima deve evitar entrar em luta corporal com o agressor.

“Eu adorei a ideia. O instrutor falou que a defesa pessoal começa no carro, em casa, voltando do trabalho, em qualquer situação que possa vir a acontecer com você. E eu sempre tomo cuidado com isso, ao entrar e sair da garagem, enquanto estou dirigindo ou passando pelo semáforo, mas se alguém me pegasse pelo cabelo ou me surpreendesse com alguma arma branca, eu jamais saberia o que fazer. Uma única aula pode ajudar sim, a salvar minha vida. Eu trouxe a minha irmã é quero trazer mais gente, porque eu adorei,” afirma a participante da aula de defesa pessoal, Alaine Cotrim.

Elas recebem instruções de como escapar de puxões de braço e cabelo, enforcamento, abraço ou ato de pegar na mão à força, pressão contra a parede, tentativa de estupro ou ataque armado

As aulas são realizadas nos sábados pela manhã em uma das três escolas parceiras, que realizam as aulas de forma voluntária: Pa-Kua Floripa, Academia Nova Forma e Centro de Treinamento Ilha Fight Floripa. Quem deseja participar das aulas ainda pode se inscrever pelo link bit.ly/floripacomelas. A chamada será feita pelo Igeof de acordo com as vagas disponíveis.

O Floripa com Elas conta com apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Guarda Municipal e as escolas Pa-Kua Floripa, Academia Nova Forma, Centro de Treinamento Ilha Fight Floripa, Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência (CEVID); rede solidária Somar Floripa; Juizado de Violência Doméstica Contra a Mulher da Capital; Organização Círculos da Hospitalidade; Rede de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência Sexual de Florianópolis/SC; Secretaria de Estado de Assistência Social; e Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de Santa Catarina (AACRIMESC).