Xadrez faz a diferença no aprendizado na Escola Municipal Altino da Silva Flores

A modalidade integra a rotina do colégio, que já coleciona campeões

0
95

O xadrez é um jogo de tabuleiro com 16 peças representadas por peões, torres, cavalos, bispos, um rei e uma rainha. No ambiente escolar, a prática é oferecida com o objetivo de desenvolver habilidades como a memorização, raciocínio lógico-dedutivo, concentração, planejamento e tomadas de decisões. Em São José, um exemplo é a Escola Básica Municipal Professor Altino Corsino da Silva Flores, que oferece no currículo a disciplina de xadrez para 210 crianças da Educação Integral do 1º ao 5º ano do ensino fundamental.

A professora de Educação Física Mariana Ramos Schutz, que tem curso em xadrez, trabalha o esporte, que também é considerado uma arte e uma ciência. Para ela, o jogo faz diferença no desenvolvimento dos alunos. “Dizem que o xadrez é a ginástica do cérebro, pois trabalha o pensamento, contribuindo com a alfabetização e com todas as disciplinas. Temos exemplos de alunos que se transformaram, cresceram em autoestima, se sentem seguros e com mais autonomia”, avalia Mariana.

O xadrez faz parte da rotina da escola, seja nas aulas, ou em atividades como o xadrez humano, em que os alunos são as próprias peças. As turmas da educação integral se reuniram no pátio da escola em um grande tabuleiro, onde as crianças do 3º e 4º ano contaram sobre a função da sua peça, em uma demonstração que foi disputada por duas alunas do 6º ano.

Os estudantes dos anos finais, que já passaram pela educação integral e hoje participam de torneios como enxadristas profissionais, também estiveram presentes, como Karen Kethilyn dos Santos Silva e Ingrid Eduarda Cunha Vieira, ambas do 6º ano; Ágatha Lima Gerônimo, do 8º ano; André da Silva Nunes do 7º ano; Kelwen Iury dos Santos Silva, do 8ª ano; e Lucas Buenos Vieira, também do 8º ano, que participou em janeiro do V Floripa Chess Open 2019.

Alguns deles praticam o xadrez desde os sete anos, como André que na sua primeira competição se classificou em segundo lugar. As meninas estão firmes também, com trabalho de tática, como explica Ágatha, que ajuda nas aulas de matemática. Elas contam que as notas melhoraram muito, estão mais dedicadas e não faltam às aulas. “Também fazemos amizades nas competições, o que é bem legal”, afirma Ingrid.

A diretora adjunta Sonali Thiesen Lehmkuhl explica que atualmente a escola está em 3º lugar geral na classificação do Circuito de Xadrez Escolar de Florianópolis. “Sempre participamos dos torneios. Nossos alunos já estiveram em disputas em cidades como Massaranduba, Içara, São Ludgero, Santo Amaro da Imperatriz e Florianópolis, sendo que os troféus, conquistados ao longo desses anos, estão expostos na nossa escola e são motivo de muito orgulho”, assinala Sonali.

A escola mantém ainda uma parceria com a Fundação Municipal de Esportes e Lazer para treinamento de xadrez, todas as terças e quintas, com o professor Márcio Aurélio Vieira, após o horário de aula. “Temos o xadrez na escola desde 2012 e alguns alunos deram continuidade a sua prática, pois decidiram se dedicar. Apostamos bastante no xadrez que agregou positivamente a esse ambiente escolar com tantos desafios. Os alunos gostam tanto que, ao observarmos uma das aulas de xadrez, percebemos que a atenção é total”, destaca a diretora Silvia Regina Bastos Silva.