Preços têm deflação em junho, com queda puxada pelo combustível, informa Udesc Esag

Os preços dos produtos e serviços comprados pelos consumidores de Florianópolis caíram levemente em junho (-0,22%), mesmo com a alimentação ainda subindo (0,41%)

0
31
Combustíveis puxaram índice de custo de vida para baixo - Foto: Getty Imag
Os preços dos produtos e serviços comprados pelos consumidores de Florianópolis caíram levemente em junho (-0,22%), mesmo com a alimentação ainda subindo (0,41%). O índice geral foi puxado para baixo principalmente pela queda nos preços dos combustíveis (-4,71%) e energia elétrica (-1,89%).

Os números são do Índice de Custo de Vida (ICV), calculado mensalmente pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), por meio do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag).

Com a queda em junho, a inflação acumulada nos últimos 12 meses recuou para 3,09% (estava em 4,75% em maio). Desde o início de 2019, a alta acumulada é de 2,04%.

Preços

Apesar da queda geral, houve aumentos expressivos em alguns produtos alimentares (os que mais pesam no orçamento das famílias). O conjunto dos preços dos tubérculos, raízes e legumes subiu 13,9%. As maiores altas foram a da batata inglesa (25,2%), tomate (11,9%) e cebola de cabeça (8,6%).
Houve alta significativa também em algumas carnes, como o músculo bovino (6%), e frutas, como mamão (7%), maçã (4,9%) e banana branca (3,8%).

Os gastos com habitação (-0,76%) e transportes (-1,33%) foram os que mais contribuíram para o índice geral negativo do custo de vida em junho. Nos transportes, o índice foi puxado para baixo pela forte queda nos preços dos combustíveis para automóveis (-4,71%).

No caso da habitação, houve queda em quase todos os subgrupos, com destaque para a energia elétrica (-1,89%), em razão da mudança de bandeira para verde, retirando o adicional cobrado no mês de maio (bandeira amarela) em razão das condições então desfavoráveis para a geração de energia.

Sobre o Índice de Custo de Vida

O ICV/Udesc Esag registra a variação dos preços de 297 produtos e serviços consumidos por famílias de Florianópolis com renda entre 1 e 40 salários mínimos. Para o último boletim mensal, os dados foram coletados entre os dias 1º e 28 de junho.

A metodologia é a mesma usada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referência oficial para a meta de inflação nacional. Para o cálculo do ICV, a Udesc Esag conta com o apoio da Fundação Esag (Fesag), na atualização das ferramentas utilizadas.