Diretores da rede municipal participam de encontro sobre programa Saúde na Escola

Também foram passadas orientações sobre doenças contagiosas, medicamentos e vacinas

0
236

Os diretores da Educação Infantil e Ensino Fundamental da rede municipal de São José participaram de um encontro para discutir questões relacionadas à saúde no âmbito escolar. A ação foi desenvolvida pelo setor Saúde do Escolar, ligado à Secretaria Municipal de Educação, que busca criar estratégias que possam alcançar as crianças e alunos da rede, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

Dividido em três etapas, o encontro foi iniciado pela médica da família Luana Costa de Lima que falou sobre o Programa Saúde na Escola, doenças contagiosas (como sarampo, catapora, rubéola, caxumba e influenza) e diagnósticos. Durante sua explanação, Luana abordou a questão da Educação em Saúde, elencou as responsabilidades da escola e esclareceu dúvidas sobre os atestados médicos apresentados pelas famílias.

“A escola deve ter o maior cuidado ao receber o atestado, que precisa estar datado, devidamente assinado e carimbado pelo médico que o prescreveu. É importante também observar o nome da criança, do medicamento, sem esquecer os prazos de validade, tanto do atestado, como do próprio remédio”, destacou a médica.

Já a farmacêutica Alice Cruz Ribeiro explicou o funcionamento da Gerência de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal da Saúde. Aline falou ainda sobre a administração de medicamente nas escolas. “As unidades escolares não podem manter medicamentos e, somente em situações imprescindíveis, devem medicar crianças ou alunos. Quanto aos injetáveis, é expressamente proibido dentro da unidade escolar”, assinalou a farmacêutica.

Na última etapa, os diretores ouviram a diretora de Imunização da Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde. Luana Bastos esclareceu detalhes do Programa Nacional de Imunização (PNI), fez um rápido diagnóstico sobre o aumento da cobertura vacinal, destacando a importância da erradicação e controle de doenças. “As vacinas recomendadas como saúde pública pela Organização Mundial são oferecidas gratuitamente nas unidades de saúde do Município. Na nossa cidade, possuímos hoje 20 salas de distribuição”, relatou a diretora.

Luana Bastos abordou também a situação Epidemiológica das Doenças Imunopreveníveis, que tem como objetivo manter sob controle as doenças passíveis de imunização. “O domínio de conhecimentos epidemiológicos específicos é necessário para a elaboração de estratégias de erradicação de surtos, controle de endemias e para a fabricação de vacinas. Esse processo ocorre de forma gradual, sendo resultado de um somatório de fatores de âmbito nacional e internacional que irão convergir para estimular e expandir a utilização de agentes imunizantes no país”.

Um dos pontos altos do encontro foi a criação da Declaração de Atualização Vacinal. As unidades educacionais do Município, quando realizarem os Editais de Matrícula e Rematrículas, não solicitarão mais a conhecida “Carteirinha de Saúde” e sim a Declaração de Atualização Vacinal. Esse documento já começou a ser solicitando na volta às aulas nesta segunda-feira (29). Segundo a coordenadora do setor Saúde do Escolar, professora Débora Augusto da Silva e Silva, trata-se de um documento minucioso, com detalhamentos importantes sobre as inúmeras vacinas. “Até porque existem prazos de validade e idades específicas para crianças e adolescentes, tornando-se fator primordial para a saúde humana”, finalizou.