Escolas do Estreito abraçam projeto inédito que busca valorizar o bairro

Nesta semana, o projeto foi apresentado com sucesso também na Associação Comercial de Industrial de Florianópolis (Acif) e na Câmara de Diretores Lojistas (CDL).

0
40
Lélia Gamba, Túlio Sá e Ana Ouriques -Colégio Criativo.

Três escolas particulares do bairro Estreito oficializaram esta semana
a sua participação no Concurso de Redação do projeto “Sou Estreito
e não largo”: o Colégio Criativo, o Colégio Salvatoriano Nossa
Senhora de Fátima e o Colégio Antônio Peixoto. Na próxima semana
devem entrar mais três escolas, sendo duas públicas.

O projeto “Sou Estreito e não largo”, que já recebeu o apoio da
Prefeitura na semana passada, tem o objetivo de valorizar o bairro e
resgatar o sentimento de pertencimento de seus habitantes. Nesta semana,
o projeto foi apresentado com sucesso também na Associação Comercial
de Industrial de Florianópolis (Acif) e na Câmara de Diretores
Lojistas (CDL).

O Concurso de Redação “Sou Estreito e conto minha história”
envolve os estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental. A iniciativa
visa incentivar o resgate da escrita, oportunizando o reconhecimento de
talentos da comunidade local e valorizando justamente o bairro Estreito,
sua rotina e as histórias familiares. Serão premiados a primeira,
segunda e terceira redação escolhidas, com divulgação dos vencedores
no último fim de semana de setembro.

SOBRE O PROJETO

Criado pelo jornalista Paulo Scarduelli, o designer Jorge Dolzan e o
publicitário Túlio Sá, o “Sou Estreito e não largo” quer
estimular a partilha de valores e costumes do bairro, um dos mais
populosos e dinâmicos de Florianópolis, e ressaltar o “espírito do
lugar”. Para isso, serão criadas atividades que destaquem as
peculiaridades do Estreito, que já foi chamado de João Pessoa e
pertenceu ao município de São José até 1944.

Uma campanha institucional marcará o início das ações do projeto,
que quer envolver moradores e comerciantes do bairro e áreas próximas,
já que a parte continental de Florianópolis é conurbada e densamente
povoada. Outra ideia é incentivar as pessoas a conhecerem melhor as
características do bairro e consumirem ali, de forma a reforçar a
economia local.

15 MIL POR CENTO

Além do concurso de redação, o projeto vai criar o “Baú dos
Avós”, ação que visa estimular a busca de documentos antigos (como
fotos e vídeos) guardados pelas famílias e que, compartilhados nas
redes sociais, mostrem histórias humanas e as mudanças e
transformações do Estreito nas últimas décadas.

Também estão previstas ações culturais, esportivas e de negócios,
tudo com o objetivo de aproximar as pessoas e famílias em eventos
solidários e descontraídos.

“Nosso projeto está tendo grande receptividade e mexendo
positivamente com pessoas que moram no bairro e mesmo apaixonados pelo
bairro que neste momento não moram aqui. Um dos termômetros são
nossas redes sociais. Todo mundo quer contar sua história, dar ideias e
ajudar. Para se ter ideia, nossa fanpage tinha apenas cinco seguidores
na quinta-feira da semana passada e hoje está chegando nos 800
seguidores, um crescimento superior a 15 mil por cento”, comemora
Paulo Scarduelli.

Saiba mais sobre o projeto:

www.souestreitoenaolargo.com.br

facebook.com/souestreito/

instagram: @souestreito

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome