Todas as unidades educativas de Florianópolis recebem livro sobre a história do Boi de Mamão

A obra narra em versos, dobras e desenhos o enredo desta manifestação da cultura açoriana

0
152
O autor Sig Schaitel, o assessor do Nufpaei Nado Gonçaves e a chefe do DEBEC Daniela Guse

Todas as unidades educativas da rede municipal de ensino da Capital estão recebendo um kit contendo 10 livros “Boi malhado, Boi dobrado”. Produzido pela Cia Mafagafos, com recursos do Fundo Municipal de Cultura de Florianópolis, a obra narra em versos, dobras e desenhos, a história da brincadeira do Boi de Mamão. O livro é indicado para crianças de até 10 anos.

De 2000 exemplares impressos, parte deles estará disponível nas bibliotecas das escolas e Neims da Prefeitura de Florianópolis. Com autoria de Sig Schaitel, Luciana Bicalho e Tina Merz, o texto contou com a consultoria do assessor do Núcleo de Formação, Pesquisa e Assessoramento da Educação Infantil (NUFPAEI), Nado Gonçalves, da Secretaria Municipal de Educação.

O lançamento do livro será neste sábado, 14 de setembro, às 15h, no 12º aniversário da Biblioteca Livre do Campeche (Biblica), na Avenida Campeche, 2157.

Também terá outro evento de lançamento na quinta-feira, 19 de setembro, às 15h, na Biblioteca Pública de Santa Catarina (BPSC), localizada na Rua Tenente Silveira, 343.

O secretário de Educação da Capital, Maurício Fernandes Pereira, salienta que iniciativas como esta são uma forma de manter viva a cultura açoriana.
“Temos em Florianópolis uma riqueza cultural enorme, é importante que as nossas crianças saibam que este patrimônio deve ser mantido e incentivado”, afirma.

Clube da leitura

No dia 27 de setembro, os autores estarão participando do Clube da Leitura, onde falarão sobre o livro e o processo de produção. Podem participar do evento todos os profissionais que tiverem interesse e disponibilidade de horário. Será das 8h às 12h, no Centro de Educação Continuada da SME.

O Clube da leitura é um projeto do Departamento de Bibliotecas Escolares e Comunitárias (DEBEC), que ocorre há quase 10 anos, possibilitando a interação de estudantes e profissionais da rede com autores catarinenses ou que moram em Santa Catarina.