Vereador de São José critica compra de mesa, mas se ausenta de sessão cuja presença custa R$ 1,3 mil

Vereador de São José, Antônio Lemos (MDB) criticou a troca do mobiliário da Câmara, incluindo a mesa do seu gabinete, segundo ele, sem necessidade e fez vídeo para se promover nas redes sociais; a resposta veio quando o presidente da Câmara revelou que Lemos assinou presença e se ausentou de sessão ordinária da Câmara, cuja presença custa aos cofres públicos R$ 1.3 mil

0
116
Postagem do vereador Lemos nas redes sociais

Em época de redes sociais um ‘modus operandi’ tomou conta da estratégia de marketing de políticos e suas assessorias: encontram um assunto polêmico para fazer um discurso moralista e populista, gravam um vídeo e disparam nas redes sociais. Essa é uma especialidade do vereador de São José, Antônio Lemos (MDB). Na semana passada ele criticou a substituição da sua mesa do seu gabinete. O problema que nesta semana veio a resposta. O mesmo vereador que criticou a compra da mesa assinou presença e se ausentou de sessão ordinária da Câmara, cuja presença custa aos cofres públicos R$ 1.3 mil. Ou seja, o discurso é bonito, mas a prática nem tanto.

Na semana passada, em pronunciamento na Tribuna da Câmara o vereador criticou ato da Mesa Diretora da Câmara que procedeu a substituição do mobiliário antigo por um novo. Ele cobrou que não foi consultado e foi surpreendido com a substituição do mobiliário do seu gabinete, o que aconteceu também com os demais. “Comuniquei à presidência que discordo. Não importa o valor da mesa se foi R$ 50 ou R$ 100. Mas temos demandas na cidade de São José e trocar por novo uma coisa que está funcionando não é necessário”, argumentou.

Em seu pronunciamento, Lemos ainda mostrou desconhecimento em relação ao assunto, ao afirmar que o ex-presidente Orvino Coelho D’Avila (PSD) já teria adquirido os móveis da Casa e que estes “eram de péssima qualidade”. “Temos que fazer um levantamento do que foi comprado na gestão anterior erroneamente”, falou.

Na sessão desta segunda-feira (29) o presidente da Casa, Michel Schlemper utilizou a tribuna para rebater as acusações de Lemos. Lembrou que o ex-presidente Orvino não comprou o mobiliário da Casa, portanto ele não estava substituindo móveis comprados recentemente. Lembrou que os móveis antigos serão reaproveitados. “Toda mobília que foi trocada é revertida ao patrimônio da prefeitura e serão reaproveitados”, comentou.  Michel ainda fez questão de deixar claro que consultou sobre as prioridades da Câmara a todos os vereadores no início de sua gestão e teve alguns que sequer se manifestaram.

Presidente Michel rebatendo as críticas

O presidente também explicou que não comprou os móveis antes, porque a necessidade maior era de uma reforma no prédio da Câmara, o que foi feito. “Precisava de uma reforma porque chovia dentro, os vereadores mesmo reclamavam. Aí sim, se tivesse comprado móveis naquela época, seria uma temeridade, quando chovia dentro da Casa”, frisou.

O presidente da Câmara também fez questão de condenar publicações populistas e demagogas de políticos nas redes sociais.  Citou um caso envolvendo o vereador Lemos. “Quanto custa para a cidade a nossa presença aqui na sessão? Eu respondo, por cada sessão recebemos cerca de R$ 1,3 mil”, disse. “Agora vereador assinar a presença na sessão e ir embora, se ausentar não custa nada? Todo mundo sabe quem fez isso e foi o mesmo que fez o videozinho criticando a compra da mesa”, finalizou.

 

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome