Ceasa de São José tem novo horário de funcionamento

Mudança no horário de atendimento da Unidade de São José passa a vigorar a partir do dia 11 de novembro; veja na matéria abaixo como ficou

0
50

Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (Ceasa) passa por restruturação de gestão e prioriza o atendimento à agricultura familiar. O primeiro passo nessa direção é a mudança no horário de atendimento da Unidade de São José, que passa a vigorar a partir do dia 11 de novembro.

Novos horários

Segundas-feiras

05h – Entrada de Produtores – Somente Portaria 02

06h – Entrada de Compradores – Somente Portaria 01

07h – Liberação da comercialização (Sinal)

Terças a Sextas-feiras

06h – Entrada de Produtores – Somente Portaria 02

07h – Entrada de Compradores – Somente Portaria 01

08h – Liberação da comercialização (Sinal)

Objetivo

Com a mudança de horário, a Ceasa quer proporcionar uma comercialização mais isonômica, priorizando a agricultura familiar. O presidente da Ceasa, Angelo di Foggi, explica que a decisão foi tomada após pesquisa com os usuários da unidade de São José, que indicou a necessidade de alteração do horário de funcionamento.

“Em meio a um país globalizado e competitivo, as empresas precisam inovar e implantar mudanças organizacionais que sejam bem-sucedidas e que atendam ao maior número possível de envolvidos. O intuito da Ceasa é de fazer um mercado mais atrativo, organizado e igualitário, tanto para clientes internos como externo”, destaca.

As resoluções estão disponiveis para consulta no link: http://www.transparencia.ceasa.sc.gov.br/

Ceasa

Os boxistas e os produtores rurais da Ceasa, unidade de São José, comercializaram 332,7 mil toneladas de alimentos em 2018 com uma movimentação financeira que passou de R$ 697,6 milhões. Atualmente, são 132 empresas e mil produtores rurais cadastrados atuando na Central.

As Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina S/A são uma empresa vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural e funcionam como um elo entre o produtor e o consumidor por meio da comercialização atacadista e varejista de pescado, produtos hortifrutigranjeiros, alimentos e insumos orgânicos, produtos ornamentais e de floricultura e artesanais.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome