Exposição “M” de Gabriel Bonfim fica no Museu do Judiciário até dia 28 de agosto

Mostra, que abre nesta quinta-feira (8), traz à tona a discussão em torno da violência contra a mulher, do preconceito e do machismo durante o mês que marca o agosto lilás.

0
379
FOTOS: Hermes Bezerra.

Um grande encontro vai marcar este mês no Museu do Judiciário
Catarinense: a mostra “M. – Meu Lugar na Sociedade”, do artista
Gabriel Bonfim, e a campanha Agosto Lilás. Ambas ações tratam da
mulher, indo da violência sofrida por ela ao seu empoderamento. A
avant-première para os 94 desembargadores do Tribunal de Justiça de
Santa Catarina aconteceu na tarde deste dia 7.

No dia 21 (quarta-feira), a exposição ganhará a companhia de um
grande debate que faz parte do calendário oficial do Agosto Lilás em
Florianópolis. O evento, que terá início às 19h, contará com
mulheres que são referência na área e participação especial em
vídeo da própria Maria da Penha e das mulheres fotografadas para a
exposição. A mediação da roda de conversas será feita pela
desembargadora Salete Silva Sommariva, coordenadora do Cevid
(Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica
e Familiar).

Participarão do debate a advogada Rejane Silva Sánchez, presidente da
Comissão Estadual da Mulher da OAB-SC; Luciana Telles Rodrigues
Rovaris, assistente social e coordenadora do CREMV (Centro de
Referência à Mulher em Situação de Violência), em Florianópolis;
Regina da Silva Suenes, que trabalha na Gerência Estadual de Políticas
para Igualdade Racial e Imigrantes e vai abordar a situação das
imigrantes que chegam ao nosso país e da violência contra a mulher
negra.

“É um orgulho para nós desembargadores que esta exposição esteja
no Tribunal de Justiça, pois é um espaço de afirmação de minorias e
de pessoas que sofrem outros tipos de violência. A qualidade das fotos
está fantástica e destaca a luta das mulheres para se posicionarem na
sociedade”, avalia o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador
Rodrigo Collaço.

Depois do sucesso da exposição no Museu da Imagem e do Som (MIS SC),
“M” fica em Florianópolis para o Agosto Lilás, implementado pela
Prefeitura, por meio da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas
para a Mulher. A campanha foi pensada para dar visibilidade à Lei Maria
da Penha e sensibilizar toda a população sobre a importância da
prevenção e combate à violência contra às mulheres. Uma série de
eventos, palestras e mostras fazem parte das iniciativas que serão
realizadas durante todo esse mês para reforçar a mensagem.

A campanha foi instituída oficialmente em Florianópolis por meio da
sanção de uma lei municipal no dia 7 de agosto, no gabinete do
prefeito. A data é simbólica, já que nesse mesmo dia, em 2006, era
sancionada a lei federal 11.340, mais conhecida como lei Maria da Penha.
A lei marcou uma importante conquista de combate à violência contra as
mulheres em todo país.

“Trazer a exposição “M” para o Museu do Judiciário tem uma conexão
direta com a minha própria formação, pois já fui estudante de
Direito. Fiquei extremamente feliz por poder mostrar minha obra neste
ambiente, que tem tudo a ver com a defesa da mulher”, diz Gabriel.

Desembargadoras Haidée Denise Grin, Hildemar Meneguzzi
e Vera Copetti com o artista Gabriel Bonfim.

“M. – MEU LUGAR NA SOCIEDADE”

O nome da exposição, “M”, é uma referência à mulher e, também, a
Maria, nome feminino mais popular na América do Sul. São retratos de
11 mulheres, entre elas, Maria da Penha e Luiza Brunet, que se tornaram
ícones em diferentes contextos, mas sob a mesma ótica na luta contra o
preconceito, a violência e o machismo.
Os retratos das mulheres também são acompanhados de uma
videoinstalação artística com 11 telas de tablets. Nelas, Gabriel
Bonfim expõe cenas de diálogos de diversas mulheres.

No registro da transexual na escadaria Selarón, no Rio de Janeiro, ou
da Ialorixá na igreja da Ordem Terceira de São Francisco, em Salvador,
as imagens revelam histórias que levam o espectador a perceber algumas
das diversas dificuldades enfrentadas por essas mulheres. Até julho,
“M” esteve exposta no Museu da Imagem e do Som, falando da violência
contra a mulher, sua ressocialização e atraindo mais de 5 mil
visitantes.

GABRIEL BONFIM

Gabriel nasceu em São Paulo, em 1990, e desde cedo revelou amor pela
arte. Após formar-se em Direito, decidiu dedicar-se permanentemente à
fotografia. Como fotógrafo de moda, desenvolveu sua habilidade
profissional e técnica. Depois de anos de aprendizado e viagens pela
Holanda, Alemanha e Bélgica, mudou-se para a Suíça. Ali, juntamente
com o entusiasta da arte e fotografia, Thomas Kurer, atual gerente de
seu acervo, fundou a “Gabriel Bonfim Collection”.  Seu talento para
observar pessoas em seus arredores resultou em ambiciosos retratos e
séries: sobre os dançarinos de fitness de rua “Bar-Barians”, em Nova
Iorque. “Gabriel Bonfim tem um olhar excepcional para o ser humano e seu
ambiente. Esse talento é o que o eleva de um fotógrafo de alta
performance de pessoas para um Fotógrafo de Arte”, afirma Kurer.

SERVIÇO

O QUÊ: Exposição “M. – Meu Lugar na Sociedade”;
QUANDO: até dia 28 de agosto, de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h
;
LOCAL:  Museu do Judiciário Catarinense, Rua Álvaro Millen da
Silveira, 208, Centro, Florianópolis.
INGRESSO: classificação e entrada livre.
MAIS INFORMAÇÕES: (48) 3287-2436.