A necessidade de uma gestão eficiente no setor de iluminação pública das cidades

Investir em soluções adequadas traz diversos benefícios para a população

0
180
Praça Carianos- Crédito foto: Divulgação

Às vezes, não nos damos conta da importância da iluminação pública
e a essencialidade desse serviço só é percebida pela população
quando algo de errado ocorre. O que aconteceria se não se pudesse andar
pelas cidades à noite porque as ruas são escuras e, consequentemente,
potencialmente perigosas? Esta situação provavelmente limitaria os
compromissos e diversões noturnas de cada cidadão. Por isso, a
importância de investimentos e projetos que beneficiem o conforto de
uma cidade bem iluminada diretamente vinculada ao bem-estar e segurança
da população.

Com o objetivo de tornar as regiões públicas mais atrativas e seguras,
as prefeituras dos municípios de Florianópolis, São José, Palhoça,
Blumenau, Joinville, Indaial e São Francisco do Sul, em Santa Catarina,
já adotaram a tendência que inclui o tipo de contrato de prestação
de serviços em gestão da iluminação pública realizado entre uma
empresa privada e o governo municipal. O Consórcio SQE LUZ, formado
pelas empresas ENGIE e QUANTUM Engenharia é um deles e mantém altos
níveis de eficiência aliando experiência e tecnologia.

Os municípios vêm investindo em uma série de obras para
modernização da rede de iluminação por toda a cidade. A utilização
de lâmpadas LED é uma característica iminente da modernização. O
modelo proporciona, em média, 50% de economia no consumo de energia,
mais conforto e melhor percepção visual devido à emissão de luz
branca e boa reprodução de cores. A instalação atual reduz os custos
de manutenção em função da vida útil elevada e, consequentemente,
gera menos interferência nas vias para manutenção, contribuindo para
a mobilidade urbana da cidade e para a preservação do meio ambiente.

O investimento representa também uma economia importante para os cofres
públicos e para os cidadãos pagadores de impostos. Segundo o estudo
realizado pelo Banco Mundial, a iluminação pública representa mais de
4% do consumo total de energia do Brasil. O gasto com energia elétrica
é o segundo item orçamentário de grande parte dos municípios
brasileiros, superado apenas pelos gastos com folha de pagamento.

Diferente do que ocorre quando os serviços públicos ficam sob a tutela
completa dos governos, em que precisam gerenciar áreas distintas desde
saúde até educação, por exemplo; na realização de contratos de
gestão de iluminação pública ou uma Parceria Público-Privada o
conhecimento específico da empresa contratada sobre o setor permite que
ela proponha soluções mais eficientes e sustentáveis para atender a
demanda específica. “Nas cidades em que atuamos focamos na otimização
e modernização da rede de iluminação pública. A instalação de LED
e de sistemas de telemonitoramento tem gerado uma economia substancial
aos cofres públicos e, por consequência, um retorno potencial muito
maior em investimentos ao contribuinte”, explica Guilherme Azambuja,
executivo de soluções de iluminação pública da ENGIE Brasil.