Florianópolis é primeira capital a ter coleta seletiva de verdes de porta em porta

Coleta seletiva de resíduos verdes, de quintal e jardim, será feita em três rodadas esse ano nos 58 roteiros que abrangem praticamente toda a cidade

0
676

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Comcap, implanta de forma pioneira entre as capitais a coleta seletiva de resíduos verdes de porta em porta. O recolhimento de restos de poda, galhos, folhas e grama será feito pelo menos cinco vezes ao ano em cada região da cidade. Este ano, por conta da pandemia da Covid-19, serão feitas três rodadas até o final do ano.

A cidade foi dividida em 58 lugares e os resíduos verdes deverão ser colocados na rua somente nos dias previamente agendados. A coleta de verdes começou semana passada pelo Canto da Lagoa e Rio Tavares e neste sábado (13) foi realizada no Santa Mônica e Jardim Anchieta.

Os resíduos verdes processados pela Comcap são transformados em cepilho e composto orgânico usados em práticas de agricultura urbana, no ajardinamento e paisagismo de espaços públicos e em hortas comunitárias e institucionais.

Este ano, a Prefeitura de Florianópolis por meio da Comcap investirá cerca de R$ 10 milhões em recursos do Financiamento à Infraestrutura e Saneamento (Finisa) da Caixa em equipamentos para a coleta seletiva.

Novos equipamentos

Para implantar a coleta de verdes foram investidos quase R$ 1,5 milhão em caminhão compactador, picador florestal e peneira para composto.

O caminhão compactador com capacidade para 19 metros cúbicos, câmbio automático e elevador para contentores de quatro rodas e 1,2 mil litros é o equipamento mais moderno desenvolvido para coleta de resíduos sólidos no Brasil e foi adquirido ao valor de R$ 524 mil.

Também foi adquirido um picador florestal, com capacidade para quadruplicar o processamento de podas na Comcap, e custo de R$ 754 mil. A peneira para o composto orgânico exigiu investimento de R$ 65 mil.

Inovação

A coleta de verdes remete às metas Floripa Lixo Zero 2030. Até hoje, a Comcap oferece duas modalidades regulares de coleta domiciliar: de rejeito (convencional) e de recicláveis secos (coleta seletiva). Agora passará a recolher de porta em porta também a terceira fração composta pelos resíduos orgânicos.

Na coleta seletiva de verdes serão recolhidos restos de poda e grama, folhas e galhos. Restos de alimentos, que também são resíduos orgânicos, devem ser encaminhados para compostagem doméstica, comunitária ou nos pontos de entrega voluntária da Comcap (Ecopontos do Morro das Pedras, de Canasvieiras e do Itacorubi).

Ano passado, com entrega voluntária e remoção de volumosos, a Comcap processou mais de 2,6 mil toneladas de resíduos verdes. Este ano, com a implantação ainda piloto da coleta seletiva de verdes, a estimativa é que essa quantidade aumente em até 30%.

Recicláveis verdes

 grama
 capim
 folhas
 flores
 cascas de árvore
 restos de poda (galhos com ou sem folhas)

Acondicionamento
A forma correta de acondicionamento é fundamental para facilitar o trabalho dos garis.
Grama, capim e folhas devem ser acondicionados em sacos de ráfia ou bombonas. Galhos, troncos, folhas de palmeira e bananeira devem ser montados em feixes.

Em www.pmf.sc.gov.br/comcap está disponível o calendário por bairros e um ebook com instruções sobre como separar e dispor para coleta os resíduos verdes.

CLIQUE ABAIXO E VEJA MAIS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES:

Ebook – Coleta Seletiva de Verdes