Empresa cria banco de talentos exclusivo para pessoas com deficiência

Na contramão do preenchimento de vagas apenas por cotas, Softplan quer recrutar e selecionar profissionais com necessidades especiais para diversas áreas da companhia

0
50

A Lei de Cotas, que prevê que as empresas preencham uma parcela de seus quadros funcionais com pessoas com deficiência (PCDs), completou 29 anos em julho de 2020. Porém, segundo dados do Painel de Informações e Estatísticas da Inspeção do Trabalho no Brasil, apenas 50,62% das empresas cumprem com a cota. O caminho para garantir a inclusão dos profissionais PCDs ainda é longo, mas algumas companhias já estão dando exemplo.

É o caso da Softplan, uma das maiores desenvolvedoras de software no Brasil, que está lançando um banco de talentos exclusivo para pessoas com deficiência. A empresa quer captar profissionais que geralmente não se candidatam para uma vaga por ela não ser exclusiva para PCDs. “Nós sempre prezamos muito pela diversidade do nosso time, por isso nossas vagas estão abertas para qualquer pessoa, independente de raça, cor, religião, deficiência ou gênero. Mas, conversando com nossos colaboradores PCDs, percebemos que existe uma tendência dessas pessoas não se candidatarem à vagas que não sejam exclusivas. Com o banco de talentos, queremos captar essas pessoas e aumentar a participação delas tanto em processos seletivos como na empresa”, define Beatriz Neves, Coordenadora de Recrutamento e Seleção na Softplan.

O banco de talentos contemplará futuras oportunidades para as áreas Administrativa, Financeira, DHO, Marketing, Desenvolvimento, Projetos, Sistemas, TI e Vendas. O canal vai ser analisado continuamente, para que os recrutadores possam fazer uma pré-seleção e encaminhar os candidatos que tenham o perfil adequado para os gestores da área. “A triagem vai funcionar igualmente à de qualquer outra vaga. A única diferença é que os candidatos PCDs vão precisar preencher um breve formulário para que possamos entender melhor o seu contexto e nos adaptar 100% a ele. Fora isso, todos os benefícios, plano de carreira, auxílios, feedbacks, tudo é exatamente igual para qualquer colaborador da Softplan”, comenta Beatriz.

O coordenador de serviços de TI Vanderlei Fortes é um dos gestores que tem na equipe uma pessoa com deficiência. Ele acredita que a inclusão é um caminho para diminuir o preconceito com essa parcela da população. “O colaborador PCD precisa ser contratado pela sua capacidade profissional e não para ser apenas mais um número na cota, porque, quando falamos de times, eles são formados por pessoas de diferentes culturas, etnias e opiniões. Isso faz com que a equipe se torne muito mais democrática e plural, além de gerar respeito. Como as atividades exercidas na operação são inclusivas, conseguimos valorizar todas as pessoas e criar relações duradouras dentro do time”, destaca.

Jeimyson Souza, Coordenador de Desenvolvimento na Softplan, também reforça que ter um time inclusivo pode trazer muitas oportunidades de aprendizado, não só para o colaborador PCD, mas para toda a equipe e gestores. “Eu tenho a oportunidade de liderar dois deficientes visuais que me ensinam todos os dias. Sou desafiado a me dedicar e ser um líder e uma pessoa melhor, porque comecei a repensar vários dos meus hábitos. Superar obstáculos quanto às limitações físicas de alguns colegas é um aprendizado constante em nosso time, porque nosso dia a dia requer uma atenção mais apurada quanto à comunicação clara, materiais descritivos e o mínimo de estímulos visuais possível nos processos e ferramentas. Às vezes escapa algo, mas já é natural da equipe que todos imediatamente se coloquem como apoio”, comenta.

“Um dos nossos pilares é a valorização das pessoas e temos orgulho de dizer que somos uma empresa que apoia a diversidade e inclusão. Nós queremos tirar esse estigma de que PCDs são pessoas diferentes ou menos qualificadas, e verdadeiramente incluir esses talentos que estejam buscando se desenvolver e construir uma carreira”, reforça Tatiana Back, Business Partner na Softplan.

Para se candidatar ao banco, é necessário ter ensino médio completo, ensino superior (em alguns casos, de acordo com o cargo desejado), laudo médico atualizado e perfil proativo, responsável, comprometido e focado em soluções. Todas as vagas da empresa estão disponíveis em: https://www.softplan.com.br/carreira/?utm_source=AI.

 

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome