Fundação Cultural BADESC tem 8 palestras virtuais gratuitas até dezembro

A primeira será no dia 28 de outubro na qual o roteirista e antropólogo Michel Carvalho aborda o cinema brasileiro.

0
96
O roteirista e antropólogo Michel Carvalho aborda o cinema brasileiro no Encontro Virtual promovido pela Fundação Cultural BADESC - crédito Divulgação

Reflexões sobre os impactos das imagens e sons na sociedade atual são o foco das oito palestras virtuais promovidas em parceria pela Fundação Cultural BADESC e o Laboratório de Imagem e Som e o Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), com coordenação do Prof. Dr. Rogério Rosa.

Os eventos semanais iniciam no dia 28 de outubro e seguem até o dia 16 de dezembro de 2020. Realizados sempre nas quartas-feiras, no horário das 19h30, cada encontro terá a participação de um convidado com o objetivo de debater sobre uma temática em destaque. Os encontros vão ser transmitidos pela plataforma Microsoft Teams. Para participar basta
acessar o link: http://bit.ly/encontrosvirtuaisfcb.

Na edição de abertura, no dia 28 de outubro, o convidado será o roteirista e doutorando em Antropologia Cultural pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Michel Carvalho. Ele irá apresentar o tema Cinema Brasileiro – Colonialidade e Resistências.

Sobre Michel Carvalho

Graduado, Mestre e Doutorando em Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pesquisa questões relacionadas a gênero, raça e sexualidade no cinema. Especialista em Cinema Etnográfico (Fiocruz). Estudou roteiro com Patrick Vanetti, diretor do Conservatório Europeu de Escrita Audiovisual, Lucas Paraízo e Zé Carvalho. Cursou a Oficina de Roteiristas e a Oficina de Escrita de Humor da Rede Globo de Televisão.

Atuou como roteirista e pesquisador em mais de 20 produtos; onde se destacam as séries de ficção “Perrengue” (MTV), “Matches” (Warner Channel) e série ainda sigilosa para a Netflix; os longa-metragens documentais “Torre das Donzelas” (premiado como Melhor Filme nos festivais de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Uruguai e Portugal), “Mussum – um filme do cacildis” e a série documental “Favela Gay – Periferias LGBTQI” (Canal Brasil). É também curador do Concurso de Roteiros do FRAPA e do Laboratório Novas Histórias.

Atualmente prepara o lançamento de “Prazer em Conhecer”, longa documental sobre sexualidade LGBT, do qual é autor do argumento, roteiro, pesquisa e assistência de direção, se dedica à escritura de seu longa ficcional “A Mais Forte”, contemplado em edital do Ministério da Cultura, desenvolve o roteiro de Apolo, comédia romântica gay encomendada pela Migdal Filmes, faz parte da equipe de colaboradores de uma das próximas novelas da Rede Globo e dá aulas na Roteiraria e na AIC (Academia Internacional de Cinema).

Sobre Rogério Rosa

Professor do ensino superior desde 2001, Rogério Rosa atualmente leciona na Udesc, credenciado como docente de História e vice coordenador do Programa de Pós-Graduação em História do Tempo Presente. Eleito presidente da ANPUH-SC (Associação Nacional de
História seção Santa Catarina) para gestão de 2018-2020 e Membro do Corpo Editorial como Editor da Seção Fonte da Revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos para os anos 2019-2022, atualmente coordena o Laboratório de Imagem e Som (LIS) da FAED/UDESC.  Desenvolve pesquisas na área de história e cultura política e visual, relações
entre história e literatura, história da historiografia e movimentos sociais. Suas pesquisas tem como foco conflito rebelde ocorrido no sul do Brasil conhecido como Guerra do Contestado.

Segundo encontro

No dia 4 de novembro, a doutoranda em História pela UDESC, Ariana Silva, vai apresentar o tema Decolonialidade e música: produções das raperas afroindígenas latino-americanas. Esse será o tema do segundo encontro virtual.

Serviço: Encontro virtual sobre cinema brasileiro com o roteirista e antropólogo Michel Carvalho
Data: 28 de outubro – quarta-feira
Horário: 19h30

Local: Plataforma online Microsoft Teams (http://bit.ly/encontrosvirtuaisfcb)