Ônibus Ponte Viva entra em operação com aplicação antiviral que combate o coronavírus

Uma parceria entre a TNS Nanotecnologia e a ChromaLíquido Soluções Tecnológicas possibilitou a iniciativa

0
110

Após sete meses sem circular, os dois micro-ônibus que atendem à linha Ponte Viva entraram em circulação no Centro da Capital, nesta segunda-feira, 26. Além de seguir o protocolo sanitário existente, os veículos contam com mais uma ferramenta de prevenção e controle da pandemia da Covid-19. Uma parceria entre a ChromaLíquido Soluções Tecnológicas e a TNS Nanotecnologia possibilitou a implantação da tecnologia que, por meio da aplicação de aditivo antiviral nos tecidos usados no revestimento dos bancos e estruturas internas dos ônibus, é capaz de neutralizar bactérias e até mesmo o Sars-Cov-2, o novo coronavírus causador da Covid-19.

Para Crescenzo, a expectativa é que a novidade seja muito bem recebida pelo usuário. “O passageiro sabe que é mais uma proteção para minimizar os riscos de contágio, dele e do próximo. Isso o estimula a contribuir com as campanhas de prevenção e garante um transporte público seguro à população”, afirma.

Como o aditivo viral funciona?

A proteção garantida aos ônibus consiste na aplicação do tecido confeccionado a partir do fio de poliamida Amni®️ Virus-Bac OFF, da Rhodia, empresa do Grupo Solvay, com ação antibacteriana e antiviral, inclusive contra os micro-organismos envelopados, como são classificados os vírus influenza, herpesvírus e os coronavírus. A propriedade antiviral e antibacteriana permanece durante toda a vida útil do tecido, mesmo em situações extremas de uso, manutenção e higienização, como é o caso do transporte público.

Desenvolvido pela TNS, o aditivo antiviral aplicado nos fios dos tecidos, filtros e plásticos presentes nos ônibus é produzido com nanotecnologia. Quando os componentes entram em contato com os micro-organismos patogênicos, a camada bilipídica dos vírus é rompida, impossibilitando que se fixem na superfície.

Além disso, os aditivos são capazes de inativar o Sars-Cov-2, responsável pela Covid-19, em até 1 minuto depois do contato, e sem causar prejuízos ao meio ambiente e à saúde humana. A eficácia do produto foi comprovada por diferentes laboratórios especializados dentro e fora do Brasil.

Os veículos do transporte público estarão mais seguros, pois o aditivo antiviral da empresa catarinense elimina 99,99% a existência de vírus e bactérias nas principais superfícies de contato, reduzindo drasticamente o risco de contaminação. Essa característica também facilita a limpeza de superfícies têxteis e plásticas que contam com a nanotecnologia em sua formulação.

“O combate aos micro-organismos é a realidade da TNS desde sua fundação. Nosso know-how demonstra a competência técnica adquirida pelo time para o sucesso de nossos produtos em diferentes aplicações na indústria. Seja para proteger embalagens ou mesmo proporcionar segurança ao reduzir as chances de contaminações cruzadas, quando não se possa lavar determinada superfície tão facilmente, as soluções da TNS são pensadas para usufruto da sociedade, que ainda se esforça diariamente para evitar o contágio”, explica Nunes. Além de plásticos e tecidos, os aditivos TNS estão presentes em tintas e materiais usados para acomodar alimentos e medicamentos como no caso do EPS -conhecido como isopor.

Mais novidades para o Ponte Viva

Além da tecnologia antiviral, a linha Ponte Viva conta com outras mudanças. Após circular gratuitamente durante período de testes no Centro da Capital, com a reabertura da Ponte Hercílio Luz, a linha passa a ser cobrada neste retorno. A tarifa é de R$ 4,18, a mesma de uma linha convencional. Neste primeiro momento, será aceito somente pagamento com o cartão do passe. Nos próximos dias, a Secretaria de Mobilidade e Planejamento Urbano deve anunciar novas opções de pagamento facilitado para os passageiros.

O quadro de horários da linha está à disposição dos usuários no site ou aplicativo do Floripa no Ponto: www.floripanoponto.com.br/; pelo site do Consórcio Fênix: www.consorciofenix.com.br/horarios; ou pelo site da Prefeitura de Florianópolis: www.pmf.sc.gov.br/servicos/index.php?pagina=onibus.

Com a inclusão de vias da região central e continental no trajeto, a linha se tornará portanto, uma opção a mais para os passageiros que precisarem realizar trajetos curtos no Centro e parte do Continente.

Quadro de horários

08:00 – 08:40 – 09:20 – 10:00 – 10:40 – 11:20 – 12:00 – 13:00 – 13:40 – 14:20 – 15:00 – 15:40 – 16:40 – 17:20 – 18:00 – 18:40 – 19:20 – 20:00.

“Liberamos o Ponte Viva, que acaba de voltar a circular no trajeto da Ponte Hercílio Luz. Os dois veículos contam com a nanotecnologia que, aliada ao protocolo sanitário já existente, garante ainda mais segurança nesta etapa da retomada gradual do transporte coletivo no município”, afirma Mittmann.

Sobre a ChromaLíquido

A ChromaLíquido Soluções Tecnológicas, criada pelo Grupo Chroma e a Líquido Indústria Têxtil, é homologada pela Rhodia, empresa do Grupo Solvay, para produzir artigos têxteis que utilizem o fio de poliamida Amni®️ Virus-Bac OFF, com ação antibacteriana e antiviral de efeito permanente. Os tecidos e soluções que utilizam o Amni®️ Virus-Bac OFF podem ser aplicados em diferentes setores, como automotivo, transporte público e privado, aéreo e ferroviário, além de hospitais, varejo, hotéis, academias, estádios, entretenimento, bares e restaurantes.

Sobre a TNS Nanotecnologia

Com produção mensal superior a 30 toneladas de aditivos antimicrobianos e antivirais, a TNS Nanotecnologia está no mercado desde 2013. Com clientes em mais de 15 países e em todos os continentes, a scale-up catarinense foi apontada como a 1ª no ranking da 100 Open Startups na categoria de materiais. No ano seguinte, o reconhecimento veio no setor de agronegócio, com cápsulas protetoras de sementes e fertilizantes foliares.

 

 

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome