Incentivo a melhores práticas no uso de antibióticos marca semana de conscientização

Modelo utilizado no HU-UFSC/Ebserh prevê envolvimento de equipes para orientar sobre uso racional desse tipo de medicação.

0
66

De 18 a 24 de novembro é comemorada a Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos, cujo objetivo é aumentar a conscientização sobre a resistência global a esse tipo de medicação e incentivar as melhores práticas voltadas ao público em geral, profissionais de saúde e formuladores de políticas para evitar o surgimento de bactérias resistentes a esses produtos (entre os quais estão os antibióticos).

Desde fevereiro de 2019, o Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC), vinculado à Rede Ebserh, utiliza um modelo que tem o objetivo de avaliar, controlar e reduzir (se necessário) o uso destes medicamentos, por meio de uma equipe
multidisciplinar que atua juntamente com todos os médicos da instituição.

O Programa de Gerenciamento de Uso de Antimicrobianos foi implantado inicialmente na Emergência do HU, como projeto-piloto e, em seguida, passou para todas as unidades assistenciais. Por meio de planilhas eletrônicas, a equipe do programa fica sabendo em tempo real quando um antibiótico é receitado. A partir daí, é feita a avaliação dessa
prescrição, o acompanhamento do caso, com intervenção e orientação quando necessário.

A infectologista do Serviço de Controle de Infecções Hospitalares (SCIH) Ivete Masukawa explicou que o objetivo não é apenas reduzir o uso de antibióticos, principalmente considerando que o HU, por sua área de atuação, recebe pacientes que demandam este tipo de tratamento. “A meta é o uso racional, com participação de todos os agentes envolvidos”, disse a médica.

O farmacêutico André Prado explicou que o modelo já está integrado a todas as áreas do HU e, mesmo na pandemia, a prescrição dos antibióticos passou por esse controle. “Obviamente, a pandemia da Covid provocou impacto no uso de antibióticos, em termos quantitativos, mas o controle do uso racional foi permanente”, explicou.

Unidos para preservar os antimicrobianos

Todos os anos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) promove essa semana de conscientização. Neste ano, o foco da campanha foi ampliado para todos os antimicrobianos (antifúngicos, antiparasitários, antivirais e quimioterápicos), e não só os antibióticos, como em campanhas anteriores. Para a OMS, essa mudança se faz necessária pelo aumento da resistência para uma gama mais ampla de medicamentos. Por isso, em 2020, o tema escolhido para o setor de saúde humana é “Unidos para preservar os antimicrobianos”.

De acordo com a OMS, se ações não forem tomadas, estima-se que, até 2050, o problema causará, anualmente, a perda de 10 milhões de vidas em todo o mundo, além de um prejuízo econômico de 100 trilhões de dólares. Algumas das doenças que são tratadas com antimicrobianos são tuberculose, pneumonias, malária, tétano, difteria, tracoma
(infecção bacteriana que afeta os olhos) e infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), dentre várias outras.