BRDE realiza R$ 1 bilhão em operações de crédito em 2020

A instituição aumentou a capacidade de apoio aos empreendedores catarinenses e efetuou mais de 2,7 contratações, número 60% maior do que no ano passado

0
45

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) encerra 2020 com volume total de operações de crédito de aproximadamente R$ 1 bilhão, resultado 25% maior do que em 2019. A instituição aumentou a capacidade de apoio aos empreendedores catarinenses e efetuou mais de 2,7 contratações, número 60% maior do que no ano passado.

“O BRDE é um banco de desenvolvimento e, para que cumpra seu papel, é necessário que forneça crédito emergencial, com condições de financiamento diferenciadas. Ainda mais em um momento de extrema necessidade como este”, destaca o diretor financeiro, Marcelo Haendchen Dutra. “Em um ano de pandemia, com crise em vários setores, o BRDE buscou inovar para contribuir ainda mais com Santa Catarina. O número expressivo de contratações prova que não paramos. Nossas equipes técnicas seguiram desde março em trabalho remotamente para operacionalizar e pulverizar o crédito no estado”, acrescenta Dutra.

Atuação plural

De acordo com o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Vladimir Artur Fey, essa pulverização dos recursos para todas as regiões e em diferentes atividades econômicas trouxe benefícios para todo o estado. “Tudo isso comprova a forma plural de atuação do BRDE, contribuindo de maneira decisiva para o desenvolvimento harmônico de Santa Catarina. Alcançamos os mais diversos pontos do estado, ajudando muita gente que procurou o banco e que precisava de apoio neste momento difícil”, destaca.

Ao mesmo tempo em que promoveu novas linhas de crédito para desenvolvimento econômico, o BRDE também criou um programa de apoio aos empreendedores do Sul do Brasil, impactados pela crise do coronavírus. O Recupera Sul disponibilizou R$ 100 milhões de recursos do próprio banco para garantir capital de giro para MEIs, micro, pequenas e médias empresas. Desse montante, R$ 88 milhões já foram repassados, beneficiando 1.050 empresas até o momento. O restante está em fase de liberação. “O BRDE socorreu empreendedores dos principais setores da economia com redução de taxas de juros, simplificação de processos, flexibilização de garantias e pulverização do crédito por meio de entidades parceiras”, relata o superintendente da agência do BRDE em Florianópolis, Marcone Souza Melo.

A estimativa é de que com a conclusão dos processos de liberação de recursos em andamento, outros empreendedores sejam beneficiados, aumentando para 12 mil o número de empregos protegidos pelo programa de crédito, através do BRDE. O levantamento prévio mostra que os valores disponibilizados pelo banco chegaram a 127 municípios catarinenses.

Congelamento da dívida beneficia empreendedores

Além da liberação de crédito, mais de 1,3 mil empreendedores foram beneficiados com a postergação dos contratos por pelo menos seis meses. Foi uma espécie de “congelamento da dívida” durante o período mais crítico da atividade econômica durante a pandemia. Prefeituras também foram beneficiadas pela medida. Somadas as parcelas postergadas desde o mês de março, quando as empresas, agricultores e prefeituras deixaram de desembolsar, o valor chega a aproximadamente R$ 115 milhões.

BRDE ajuda a fortalecer o agronegócio catarinense

Aproximadamente um terço do valor em créditos liberados pelo BRDE em Santa Catarina este ano foram destinados ao agronegócio. O setor recebeu R$ 315 milhões. As cooperativas, somadas, tiveram cerca de R$ 230 milhões em créditos liberados. “O banco tem uma visão de sustentação do desenvolvimento, ou seja, de ser parceiro para o crescimento econômico e não somente de financiador”, ressalta o diretor financeiro, Marcelo Haendchen Dutra.

Uma das últimas operações realizadas entre o BRDE e a Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina (Fecoagro) vai permitir melhorias em mais uma unidade de produção no estado. O recurso disponibilizado pelo banco para financiamento é de R$ 20,6 milhões. A parceria é para reforma e modernização da unidade de produção de fertilizantes em São Francisco do Sul.

Mais de R$ 150 milhões para o turismo catarinense

O turismo está entre os setores mais afetados pela crise do coronavírus, por isso o esforço do BRDE em aumentar a capacidade de repasse para o segmento. Em 2020, o banco anunciou crédito dez vezes maior que o comparado ao ano passado. Além dos 52 milhões já operacionalizados, o BRDE abriu crédito de mais R$ 100 milhões para apoiar ao setor turístico em Santa Catarina. O recurso será gerenciado na região Sul pelo BRDE via Fundo Geral de Turismo (Fungetur), do Ministério do Turismo.

O programa disponibiliza capital de giro, permite a aquisição de máquinas e equipamentos turísticos, além de viabilizar a construção de novos empreendimentos ou reformas e obras de ampliação.

Diversificação das fontes de recursos e novas parcerias

Historicamente, o BNDES era responsável por garantir 92% dos recursos dos contratos com o banco. Esta dependência está hoje em 60%, segundo último relatório. Significa que pela capacidade de articulação e gestão, o BRDE está conseguindo buscar recursos em outras fontes, inclusive internacionais.

O banco firmou parceria com agências multilaterais para garantir novos recursos para projetos ligados à sustentabilidade. São iniciativas como geração de energia renovável, eficiência energética, saneamento, entre outros.

No Fundo Geral de Turismo (Fungetur), o banco é responsável por cerca de 50% das operações, sendo o principal operador do programa no Brasil. Além disso, o BRDE opera o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), destinado ao fortalecimento do setor do café na Região Sul.

BRDE apoia projetos beneficiados por leis de incentivo

Como parte da política de responsabilidade socioambiental, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) se mobiliza todos os anos para o recebimento, avaliação e deliberação de projetos que buscam apoio com base em leis de incentivo.

Em 2020, após um longo trabalho de análise das inscrições, foram aprovados mais de 100 projetos sociais, culturais e esportivos nos três estados do Sul, por meio do Fundo do Idoso, Fundo da Criança e do Adolescente, Lei de Incentivo ao Esporte, Lei de Incentivo à Cultura, Pronas/Saúde e Pronon/Oncologia. Em Santa Catarina, são 33 iniciativas contempladas num total de mais de R$ 1,1 milhão em recursos aprovados para investimento nos projetos sociais.

Nos últimos seis anos, o BRDE disponibilizou cerca de R$ 24 milhões para instituições de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Já são cerca de 600 projetos beneficiados que ajudaram milhares de crianças, idosos, artistas, portadores de necessidades especiais, pacientes com câncer e pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome