Florianópolis divulga estratégia para a 1º fase de vacinação contra Covid-19

Entre os profissionais de saúde, a prioridade serão para os que atuam no cuidado de pacientes graves

0
278

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, informa que os primeiros lotes de vacina contra Covid-19 da primeira fase da campanha serão destinados para profissionais de Saúde e idosos em Instituição de Longa Permanência (ILPI) .

Entre os profissionais de saúde, a prioridade serão para os que atuam no cuidado de pacientes graves. A estratégia é começar pelas UTIs e posteriormente seguir para os profissionais que atendem diretamente pessoas com sintomas do novo Coronavírus, que serão vacinados em seus locais de trabalho. As ampliações para a imunização de outros profissionais ocorrerá conforme os quantitativos de vacina forem chegando.

O plano de imunização completo da capital será divulgado dentro dos próximos dias, conforme orientação de quantitativo de doses disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. Toda a parte logística e de insumos já estão no almoxarifado da Prefeitura.

Nesta quinta-feira (14) o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM) participou de uma videoconferência com o ministro da Saúde, Pazuello, que repassou que a vacinação começará em todo o País, na próxima quarta-feira (20) às 10 horas.

O ministro repassou que na próxima segunda-feira (18) chegam dois milhões de doses da vacina Astrazeneca, que, juntamente com outras seis milhões de doses da Coronavac, serão distribuídas para os Estados que repassarão para os municípios. Contando que a Anvisa libera as duas vacinas no domingo (17), na terça acontecerá a distribuição para a vacinação iniciar na quarta.

Além das 8 milhões de doses previstas em janeiro, há a expectativa de 8 milhões de doses da Pfizer ainda para o primeiro semestre, além de 250 milhões de doses da Astrazeneca e 100 milhões de doses da Coronavac, que serão distribuídas durante todo o ano e outras 50 milhões de doses da Sutnik. O País prevê 420 milhões de doses para toda a vacinação.

VEJA ABAIXO VÍDEO DO PREFEITO EXPLICANDO A CONVERSA COM O MINISTRO:

5 milhões de vacinados

O presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, Jonas Donizete, ex-prefeito de Campinas, afirmou que eventual atraso no voo que vai buscar doses de vacina na Índia pode alterar a data.

“Embora tenha sido mencionado a data do dia 20, às 10h da manhã, essa data está pendente deste dois fatores: da logística de voo e da aprovação da Anvisa”, afirmou.

Donizette explicou que cinco milhões de brasileiros serão vacinados neste primeiro momento, de acordo com a explicação dada pelo ministério.

Desses, dois milhões receberão a primeira dose da vacina da farmacêutica Astrazeneca, produzida pela Fiocruz. Outras três milhões de pessoas receberão duas doses da vacina Coronavac, produzida pelo instituto Butantan. A primeira na semana que vem e a segunda 21 dias depois.

“São 2 milhões da Astrazeneca e dois milhões de brasileiros vacinados. A Coronavac, tem mais produzidas, mas o pedido de autorização emergencial foi para 6 milhões de doses. Na Coronavac, as prefeituras receberão as doses, mas se receber mil doses, vai aplicar 500 e guardar as outras 500 porque depois de 21 dias vai ter que aplicar a segunda dose”, explicou.

Ele ressaltou, como já vinha dizendo o governo, que alguns grupos serão prioritários no início da vacinação.

“Não é verdade que serão apenas capitais. As vacinas serão distribuídas com três critérios. Primeiro idosos em instituições de longa permanência. A segunda [fase], devem ser imunizados 70% dos profissionais de saúde que trabalham na linha de frente. E os prefeitos pediram profissionais da educação. Eles devem receber até abril”, afirmou.

Doses

A Frente Nacional dos Prefeitos disse ainda que, na reunião, Pazuello apresentou a seguinte previsão de quantas doses de vacina o país terá nos próximos meses. O valor é cumulativo, ou seja, a quantidade dos meses anteriores também é contabilizada nos seguintes:

  • Janeiro: 8 milhões
  • Fevereiro: 30 milhões
  • Abril: 80 milhões

Equipamento

Jonas Donizete também disse que a maioria das cidades tem quantidade suficiente de agulhas e seringas para iniciar a vacinação.

“A gente vai passar para o ministro uma ideia de como estão as cidades. E para isso eu fiz uma conversa antes com os prefeitos. A notícia boa para a população é que a maioria das cidades está preparada para a vacinação, com seringas, agulhas”, afirmou.

Com informações também do G1

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome