Médicos catarinenses realizam cirurgia inédita no mundo

Gêmeas trans passam por cirurgia para mudança de sexo.

0
325
Créditos: Divulgação

Algo inédito na literatura médica mundial está acontecendo em Santa Catarina! Irmãs gêmeas, de 19 anos, que nasceram com o sexo biológico masculino, mas que já discutiam a transição para o feminino desde antes de completarem a maioridade realizam nesta semana a cirurgia de redesignação sexual, popularmente conhecida como mudança de sexo. O caso também é raro no mundo, onde poucas gêmeas mulheres mudaram o
sexo, mas o caso brasileiro é o primeiro de transição masculino para o feminino.

A cirurgia da primeira irmã aconteceu nesta quarta-feira, no Hospital Santo Antônio, em Blumenau, com duração de cinco horas. A outra irmã passa pela operação nesta quinta-feira. Após os procedimentos elas permanecem em observação por três dias.

Ambas começaram o tratamento hormonal com anticoncepcional por volta dos 15 anos e não querem ter suas identidades reveladas. Para elas, a cirurgia é a realização de um sonho, que as tornará completas, sem o órgão genital masculino.

Quem realiza a operação de redesignação sexual são os médicos José Carlos Martins Junior e Cláudio Eduardo de Souza, que comandam o Transgender Center Brazil, clínica especializada em cirurgia trans e feminização facial. A dupla, que atende no Brasil e no exterior, atua em Blumenau e mantém escritório em São Paulo, tendo realizado cerca
de 400 cirurgias de transição de gênero desde a inauguração, em 2015. Competindo com os principais centros especializados do mundo, principalmente na Tailândia, a Transgender, como é chamada pelas pacientes, se tornou referência no assunto no Brasil, e ganhou espaço nos Estados Unidos e Europa.

Juntos, os médicos Dr. José Martins e Dr. Claudio Eduardo realizaram a primeira cirurgia de redesignação sexual de Santa Catarina e transformaram a Transgender na única clínica privada do país a realizar toda e qualquer cirurgia de transição, atendendo a transição de masculino para feminino e feminino para masculino. Os profissionais possuem treinamento pelo Transgender Center, da Filadélfia, Estados Unidos e são membros da WPATH, associação mundial de profissionais que se dedicam a pessoas trans. Periodicamente ainda realizam palestras e orientações a pacientes no continente europeu.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome