Baleia-jubarte é encontrada morta na praia do Pântano do Sul

A baleia passou pelo exame de necropsia e em seguida foi enterrada na praia

0
718

Na manhã desta quarta-feira, 7, uma baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) foi avistada boiando morta na praia do Pântano do Sul, em Florianópolis. O animal foi rebocado com o auxílio de uma embarcação e retirado da água por uma máquina retroescavadeira cedida pela Intendência Sul da Prefeitura de Florianópolis. A baleia (uma fêmea) passou pelo exame de necropsia e em seguida foi enterrada na praia.

Biólogos, veterinários e voluntários da R3 Animal realizaram a necropsia do animal no local. As ações foram feitas por meio do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) e pelo Protocolo de Desencalhe da APA da Baleia Franca, e contou com o apoio da Polícia Militar Ambiental.

A baleia media 7,8 metros de comprimento. De acordo com a presidente da R3 Animal e coordenadora do PMP-BS/Florianópolis, médica-veterinária Cristiane Kolesnikovas, o animal era um indivíduo juvenil e estava bastante magro.

“O exame necroscópico foi inconclusivo. Amostras foram coletadas e serão enviadas para análise para tentar identificar a possível causa da morte”, explica Cristiane.

Havia a presença de bastante piolhos de baleia (espécie de crustáceo marinho) pelo corpo, o que indica que a baleia estava nadando muito lentamente e possivelmente uma condição de saúde ruim.

Avistamento no domingo

Na manhã do domingo de Páscoa, uma das nossas equipes de monitoramento diário das praias, formada pela técnica de monitoramento Ingridy Severino e o monitor Rodrigo Tiburski, avistou uma baleia-jubarte bem próximo a área de arrebentação na praia do Pântano do Sul. Nossa equipe fez imagens aéreas com um drone e há a suspeita que se tratava do mesmo animal, pois ela tinha movimentos letárgicos e também estava bastante magra.

📞Ao avistar um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341. Sua ajuda é fundamental para salvar vidas!

A espécie

A baleia-jubarte habita todos os oceanos. Durante o verão, a espécie de cetáceo migra para regiões polares para se alimentar e durante o inverno busca regiões tropicais para acasalar e dar à luz.

No Brasil, a baleia-jubarte se reproduz na costa dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e do nordeste, sendo o arquipélago de Abrólhos o maior berçário da espécie no Atlântico Sul.

A baleia-jubarte pode atingir cerca de 16 metros de comprimento e pesar entre 35 a 40 toneladas. Se alimentam basicamente de pequenos crustáceos chamados de Krills, filtrando água através de placas que descem do céu da boca.

Desencalhe na Lagoinha do Norte

No dia 6 de junho de 2020, uma operação conjunta de várias instituições e órgãos de segurança, desencalhou uma baleia-jubarte, na Praia da Lagoinha do Norte, em Florianópolis. Você pode conferir como foi acessando o link https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=10157990519347798&id=267069747797

➡️O Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3 Animal) fica localizado no Parque Estadual do Rio Vermelho, unidade de conservação sob responsabilidade do Instituto do Meio Ambiente (IMA-SC), em parceria com a Polícia Militar Ambiental.
➡️O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos.
➡️O objetivo do PMP-BS é avaliar possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos encontrados mortos.
➡️O PMP-BS é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. Em Florianópolis, o Trecho 3, o projeto é executado pela R3 Animal.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome