Comércio cresce 36,8% em Santa Catarina no mês de abril

Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgados nesta terça-feira, 8, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

0
104

As vendas do comércio varejista ampliado, que engloba todas as atividades, inclusive materiais de construção e veículos, subiram 36,8% em Santa Catarina em abril, na comparação com o mesmo período de 2020. Em março, o setor também apresentou crescimento de 26%, nesta mesma análise. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgados nesta terça-feira, 8, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Os números têm mostrado uma retomada econômica em todos os setores, mesmo diante da pandemia e dos desafios impostos. O catarinense tem essa marca de superação e o Governo do Estado tem feito diversas ações para apoiar e dar suporte para continuarmos crescendo”, destaca o governador Carlos Moisés.

O resultado de abril é também 2% superior ao de março. No acumulado do ano, a alta foi de 14%, maior que a do Brasil, que registrou 9,2%. Já a variação acumulada dos últimos 12 meses apontou um crescimento de 8,9%.

“O crescimento consistente e contínuo das vendas do comércio é um importante indicador que baliza o aquecimento econômico no Estado. O Governo de Santa Catarina prioriza a saúde das pessoas e nossa missão é construir ações conjuntas que tragam segurança tanto para o empreendedor como para o consumidor e que fortaleçam a manutenção do emprego”, frisa o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon.

Em receita nominal, o comércio varejista ampliado cresceu 2,7% em abril, frente ao mês anterior e 54,4% na comparação com o mesmo mês de 2020. Na variação acumulada no ano, Santa Catarina cresceu 26,5% e 16,3% em 12 meses.

Atividades

O crescimento do volume de vendas do varejo ampliado, na comparação com abril de 2020, foi impulsionado pelos segmentos de livros, jornais, revistas e papelaria (184,2%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (116,1%); veículos, motocicletas, partes e peças (114,2%); tecidos, vestuário e calçados (103,9%); equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (42,0%); móveis e eletrodomésticos (36,4%); materiais de construção (34,3%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (27,1%); combustíveis e lubrificantes (16,1%).

“O crescimento do volume de vendas do comércio manteve a tendência elevada dos últimos meses. Se comparado com abril do ano passado, período de maior impacto da pandemia, o setor apresentou um aumento expressivo. Observando este dado num período mais longo, no acumulado do ano e nos últimos meses, estamos com um desempenho consistente e disseminado entre os diversos segmentos, o que é uma boa notícia para economia como um todo”, ressalta o economista da SDE, Paulo Zoldan.

Índice de confiança volta a subir

O índice de confiança do empresário do comércio catarinense voltou a subir. Conforme o indicador calculado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de SC (Fecomércio/SC), em maio, com certa estabilidade da pandemia, o ICEC voltou a apresentar elevação de 2,7% em comparação a abril, alcançando 88,5 pontos.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome