Veja como será a vacinação Covid nesta terça (21) na Capital, São José e Palhoça

Veja as estratégias de vacinação nas três principais cidades da região Metropolitana de Florianópolis

0
549

Confira na matéria abaixo como serão as estratégias de vacinação Covid nesta terça-feira (21) nas três principais cidades da Região Metropolitana: Florianópolis, São José e Palhoça.

Florianópolis segue vacinação nesta terça (21)

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, segue a vacinação contra Covid-19 nesta terça-feira, 21 de setembro.

A segunda dose de Pfizer passa, nesta terça-feira, para o prazo de 8 semanas. A Secretaria de Saúde, reforça a importância da segunda dose de vacina contra o novo Coronavírus. O esquema vacinal completo é indispensável para o controle da pandemia e dá mais segurança para retomada econômica e epidemiológica da Capital. Confira a programação completa:

Ponto fixo para primeira dose de adolescentes de 16 anos ou mais. Adolescentes de 12 a 16 anos com comorbidades e pessoas já contempladas anteriormente:

Das 9h às 16h:

Centro de Eventos da UFSC;

Pontos fixos para segundas doses das 9h às 16h:

Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira;
Antigo Aeroporto;
Estádio Orlando Scarpelli;
Floripa Shopping.

Ponto fixo das 7h30 às 18h30, exclusivo para dose de reforço para idosos de 84 anos ou mais e pessoas com alto grau de imunossupressão:

SEAD/Centro próximo ao Hippo.

As doses de reforço serão aplicadas em idosos com mais de 84 anos que tomaram a segunda dose há 180 dias e pessoas com alto grau de imunossupressão que receberam a segunda dose há 28 dias.

A administração municipal orienta que os adolescentes, assim como o restante do público vacinado, devem levar CPF para a vacinação.

COVID-19 | Florianópolis começa hoje novo prazo para segunda dose de Pfizer para 8 semanas

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, começa nesta terça-feira, 21 de setembro, a aplicar a segunda dose de Pfizer com novo prazo. Agora, seguindo recomendação e distribuição de doses estadual, a segunda dose passa a ser aplicada 8 semanas após a primeira dose. Além da vacina da Pfizer, todas as segundas doses de outros laboratórios também estão sendo aplicadas.

Prazos para receber a segunda dose

Pfizer – 8 semanas após a primeira dose;
Astrazeneca – 12 semanas após a primeira dose;
Coronavac – 28 dias após a primeira dose.

Locais de aplicação de segunda dose nesta terça-feira, das 9h às 16h:

Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira ;
Antigo Aeroporto;
Estádio Orlando Scarpelli;
Floripa Shopping.

São José inicia aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 para imunossuprimidos

A partir desta terça-feira (21), o município de São José passa a aplicar a dose de reforço para os pacientes com imunossupressão, além dos idosos com 80 anos ou mais que já completaram seis (06) meses da segunda dose da vacina contra a Covid-19.

Para o reforço na vacinação, a pessoa deve apresentar comprovante da primeira e da segunda dose no município de São José, documento com foto e um dos documentos listados que comprova a condição elencada para imunossuprimidos.

Os idosos com 80 anos ou mais devem ter completado o esquema vacinal há mais de seis (06) meses para receber a dose de reforço.

Os pacientes imunossuprimidos devem ter completado 28 dias da segunda dose para receber a dose de reforço.

A vacinação para dose 2 e 3 acontece das 9h às 16h. Os locais de vacinação são o Centro Multiuso para pedestres e no sistema drive thru e na Praça do CEU para pedestres.

A dose de reforço também está sendo aplicada nas oito Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que já fazem dose 2. Os locais são: Bela Vista, Real Parque, Serraria (novo), Goiabal, Ceniro Martins, Serão do Imaruim, Picadas do Sul e Campinas. O horário de atendimento das unidades é das 9h às 16h e em Campinas segue até as 21h.

Serão consideradas as seguintes condições:
a) Imunodeficiência primária grave;
b) Quimioterapia para câncer;
c) Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas
imunossupressoras;
d) Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4 <200 céls/mm3;
e) Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
f) Uso de drogas modificadoras da resposta imune (Conforme Anexo 2) ;
g) Pacientes em hemodiálise;
h) Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).
Os seguintes documentos poderão ser considerados para fins de comprovação da condição (imunossuprimido):
• Cadastros já existentes nas Unidades de Saúde ou outros serviços dos municípios que comprovem a condição;
• Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa, contendo a descrição do CID e prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados;
• Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa;
• Prescrição médica ou exames ou receitas que deixem claro a condição da pessoa considerando o prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados.

Para os indivíduos com alto grau de imunossupressão, o intervalo para a dose de reforço deverá ser de 28 dias após a última dose do esquema básico.

Aplicação de dose de reforço para imunossuprimidos inicia nesta terça-feira (21) em Palhoça

A Prefeitura de Palhoça, por meio da Secretaria de Saúde, inicia nesta terça-feira (21) a aplicação de dose de reforço para imunossuprimidos. É importante ressaltar que para a imunização é necessário primeiramente ter finalizado o esquema vacinal, com as duas doses ou dose única da vacina contra a Covid-19, há mais de 28 dias. Referente às pessoas com alto grau de imunossupressão, devem ser consideradas as seguintes condições:
• Imunodeficiência primária grave;
• Quimioterapia para câncer;
• Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;
• Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4 <200 céls/mm3;
• Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
• Uso de drogas modificadoras da resposta imune* (lista abaixo);
• Pacientes em hemodiálise;
• Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, autoinflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).

No momento da vacinação é necessário a apresentação dos seguintes documentos para a comprovação da condição de imunossuprimido:
• Cadastros já existentes nas unidades de saúde ou outros serviços dos municípios que
comprovem a condição;
• Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa, contendo a descrição do CID e prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados;
• Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa;
• Prescrição médica ou exames ou receitas que deixem claro a condição da pessoa
considerando o prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados.

*Drogas modificadoras da resposta imune:
• Metotrexato
• Leflunomida
• Micofenolato de mofetila
• Azatiprina
• Ciclofosfamida
• Ciclosporina
• Tacrolimus
• 6-mercaptopurina
• Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe,
• Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe)
• Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe)

A imunização pode ser realizada de segunda a sábado, na Estação Palhoça, entre as 9h e às 16h; no posto de vacinação da Praia da Pinheira, das 9h às 13h; ou no posto de vacinação do Shopping ViaCatarina, das 9h às 16h.